Thor: Ragnarok é o melhor filme do Deus do Trovão

Imagine que decidiram adaptar Planeta Hulk para o cinema. Fácil né? Agora imagine que as pessoas responsáveis decidiram que a melhor forma de fazer isso seria misturando uma capa do Amon Amarth, algumas edições da Heavy Metal e da 2000 AD e que a direção só funcionaria se tivesse um tom estilo Megaforce se o Dino DeLaurentiis tivesse bancado a operação. Não deveria funcionar, certo?

Pior… Funcionou. E bem pra c@r*lho

Thor: Ragnarok começa com o ressurgimento de Hela (Cate Blanchett), a Deusa da Morte, que pretende destruir Asgard de uma vez por todas. Thor (Chris Hemsworth) e Loki (Tom Hiddleston) enfrentam a vilã, mas são rapidamente derrotados e arremessados para fora da ponte do arco-íris. Ambos terminam em Sakaar, um planeta controlado pelo Grão-Mestre (Jeff Goldblum) que mantém a população sedada com uma arena de gladiadores. Seu atual campeão é um certo golias esmeralda conhecido por esmagar coisas (Mark Rufallo). Desesperado para salvar o pouco que resta do seu povo, Thor começa a se aliar com habitantes de Sakaar para escapar e derrotar Hela.

Crepúsculo dos Deuses

Apesar da mitologia nórdica, os combates em arena e as hordas de guerreiros draugr saídos de algum inferno escandinavo, o maior trunfo de Thor: Ragnarok é não se levar a sério em nenhum momento. O diretor Taika Waititi entendeu, como poucos, que o maior apelo do Universo Cinematográfico Marvel é o ar despretensioso por trás das tramas. Mesmo os momentos mais épicos e colossais raramente mostram qualquer tipo de risco para os protagonistas (e os contratos de múltiplos projetos assinados por cada ator), então nada faz mais sentido do que aproveitar o tom mais leve para criar uma aventura divertida, repleta de humor sincero e um visual verdadeiramente marcante.

É o filme que mais tira proveito das sensibilidades cômicas de Hemsworth e Hiddleston. É claro que isto torna a trilogia Thor a coisa mais inconsistente de todas as sequencias do UCM, mas isso importa? Como falamos antes, esses filmes servem apenas para entreter e garantimos que Thor: Ragnarok faz isso extremamente bem.

E no trovejante final

Falar mais sobre o filme nos arrisca a entrar no sensível território de spoilers, então apenas deixamos esta observação final para parâmetro: se você gostou da mistura de ação absurda, comédia desenfreada e visual vivo de Guardiões da Galáxia Vol. 1 e 2, então você não vai se decepcionar com Thor: Ragnarok.

Até a próxima!

Comentários

ResumoCompletamente despretensioso, Thor: Ragnarok é um dos filmes mais engraçados e divertidos da Marvel.
4.4
Critérios
Direção
Elenco
Roteiro
Enredo
Observações:
  • Apesar de sensacional, Cate Blanchett não tem muito o que fazer como Hela. Um problema assustadoramente recorrente nos filmes da Marvel.
  • Fiquem de olho em algumas figuras famosas da saga Planeta Hulk!
  • Além de easter eggs com Bill Raio Beta, Fin Fang Foom e Ares.
Mais Observações:
  • Tessa Thompson é uma das personagens femininas mais interessantes que a Marvel já introduziu.
  • É meio cri-cri falar isso, mas a direção sofre em algumas cenas. Seria inexperiência do diretor?
Avaliação dos leitores: 8.2(2 Votos)
Dê sua nota