Gerard Butler tem a infeliz missão de salvar o Planeta antes que as catástrofes acabem com tudo de vez em Tempestade – Planeta em Fúria

Tempestade – Planeta em Fúria ressuscita um gênero catastrófico que nos presenteou com 2012 (2009), Mar em Fúria (2000), O Dia Depois de Amanhã (2004), mas com uma qualidade e efeitos superiores. E, claro, com uma pitada de Armageddon (1998). A sensação de que a qualquer hora começaria a tocar “I Don’t Wanna Miss a Thing” persistiu até as letrinhas finais subirem em tela.

“Don’t want to close my eyes
I don’t want to fall asleep
‘Cause I’d miss you baby
And I don’t want to miss a thing
‘Cause even when I dream of you
The sweetest dream will never do
I’d still miss you baby
And I don’t want to miss a thing”

Não teve lá (So sad), mas bora cantarrrrrrr

O Planeta contra-ataca 

Sabe o Efeito Estufa, furos na Camada de Ozônio, mudanças climáticas e demais efeitos não tão legais da ação dos homens? Em Tempestade – Planeta em Fúria o planeta resolveu parar de colaborar e entrar em um colapso climático tão poderoso que os países do mundo todo tiveram que deixar as diferenças de lado e se unir para resolver o problema. O resultado foi uma rede de satélites circundando a Terra para controlar o clima e impedir que as ditas catástrofes destruam todos.

Jake Lawson (Gerard Butler) é contratado para construir a iniciativa junto com uma equipe composta por membros de diversos países. O projeto, Dutch Boy, se mantém estável, os USA controlam tudo e, por motivos, Lawson é tirado do programa e seu irmão mais novo assume, Max Lawson (Jim Sturgess) e 3 anos se passam, quando defeitos começam a ocorrer e o Presidente (Andy Garcia) e o Secretário de Estado (Ed Harris) decidem enviar Jake para investigar.

Efeitos mucho lokos 

Tempestade – Planeta em Fúria é um filme que nasceu para o IMAX. Os efeitos são muito bem feitos, na medida certa. Muita tecnologia espacial bacana que não deixa gap entre as cenas do espaço e das em terra, mescladas durante todo o filme. Enquanto Jake está na “Torre da Justiça”, Max precisa ajudar a desvendar o mistério com uma amiga hacker muito engraçada e sua não-noiva- namorada-secreta agente do serviço secreto que, aliás, protagoniza uma das melhores cenas do filme.

O ritmo é louco, o relógio não colabora, tudo está convergindo para a criação de uma super, hiper, mega, über tempestade (Geostorm) que tem a capacidade de fazer a Terra virar um bolo explodindo no forno.

Tá tipo Velozes e Furiosos

Corra, corra muito! Em Tempestade – Planeta em Fúria se você não for um ás no volante, meu irmão… Tu tá ferrado. Esse é um filme explosão + corrida mortal + catástrofe não tão natural assim + ficção espacial + carros potentes (até um que, se não me engano, era um Smart) para fugir de lava, fogo, pedras gigantes de gelo em uma chuva muito louca de granizo, vilões com armar de
fogo…. Ufa!

Essa mistura torna o longa emocionante, com doses de comédia, fatalismo, o clássico “ih, esse aí já era”, além de uma investigação “Detetive” (o jogo de tabuleiro), mais “I don’t wanna close my eyessss” moments. Não tem romance fru-fru. O babado é a ação mesmo! E o filme não perde nada
com isso, aliás, só aumenta sua qualidade. O foco é salvar o planeta, não dar um beijo na mocinha bem no momento mais crítico da p¨&¨%% toda.

Resumindo…

O filme é incrível! Muito bom, divertido, com boas atuações, um roteiro meio previsível, mas que sabe trabalhar isso com qualidade e proporcionando um bom tempo no cinema.

Tempestade – Planeta em Fúria já está em exibição nos cinemas.

Comentários

ResumoO mundo vai acabar...Alguém precisa salvá-lo / salvar a gente! risos
4.6
Critérios
Direção
Roteiro
Elenco
Efeitos especiais
Trilha Sonora / Edição de Som
Observações:
  • Efeitos incríveis de verdade!
  • Não tem romance lenga-lenga. É correr pra se salvar, salvar o planeta, socar os vilões e salvar o dia.
  • Gente, tem o Gerard Butler. Dãããã
  • Algumas falhinhas de roteiro.
  • Alguns pontos previsíveis e plano cruel.... Clichê.
Avaliação dos leitores: 0(0 Votos)
Dê sua nota