Gerard Butler tem a infeliz missão de salvar o Planeta antes que as catástrofes acabem com tudo de vez em Tempestade – Planeta em Fúria

Tempestade – Planeta em Fúria ressuscita um gênero catastrófico que nos presenteou com 2012 (2009), Mar em Fúria (2000), O Dia Depois de Amanhã (2004), mas com uma qualidade e efeitos superiores. E, claro, com uma pitada de Armageddon (1998). A sensação de que a qualquer hora começaria a tocar “I Don’t Wanna Miss a Thing” persistiu até as letrinhas finais subirem em tela.

“Don’t want to close my eyes
I don’t want to fall asleep
‘Cause I’d miss you baby
And I don’t want to miss a thing
‘Cause even when I dream of you
The sweetest dream will never do
I’d still miss you baby
And I don’t want to miss a thing”

Não teve lá (So sad), mas bora cantarrrrrrr

O Planeta contra-ataca 

Sabe o Efeito Estufa, furos na Camada de Ozônio, mudanças climáticas e demais efeitos não tão legais da ação dos homens? Em Tempestade – Planeta em Fúria o planeta resolveu parar de colaborar e entrar em um colapso climático tão poderoso que os países do mundo todo tiveram que deixar as diferenças de lado e se unir para resolver o problema. O resultado foi uma rede de satélites circundando a Terra para controlar o clima e impedir que as ditas catástrofes destruam todos.

Jake Lawson (Gerard Butler) é contratado para construir a iniciativa junto com uma equipe composta por membros de diversos países. O projeto, Dutch Boy, se mantém estável, os USA controlam tudo e, por motivos, Lawson é tirado do programa e seu irmão mais novo assume, Max Lawson (Jim Sturgess) e 3 anos se passam, quando defeitos começam a ocorrer e o Presidente (Andy Garcia) e o Secretário de Estado (Ed Harris) decidem enviar Jake para investigar.

Efeitos mucho lokos 

Tempestade – Planeta em Fúria é um filme que nasceu para o IMAX. Os efeitos são muito bem feitos, na medida certa. Muita tecnologia espacial bacana que não deixa gap entre as cenas do espaço e das em terra, mescladas durante todo o filme. Enquanto Jake está na “Torre da Justiça”, Max precisa ajudar a desvendar o mistério com uma amiga hacker muito engraçada e sua não-noiva- namorada-secreta agente do serviço secreto que, aliás, protagoniza uma das melhores cenas do filme.

O ritmo é louco, o relógio não colabora, tudo está convergindo para a criação de uma super, hiper, mega, über tempestade (Geostorm) que tem a capacidade de fazer a Terra virar um bolo explodindo no forno.

Tá tipo Velozes e Furiosos

Corra, corra muito! Em Tempestade – Planeta em Fúria se você não for um ás no volante, meu irmão… Tu tá ferrado. Esse é um filme explosão + corrida mortal + catástrofe não tão natural assim + ficção espacial + carros potentes (até um que, se não me engano, era um Smart) para fugir de lava, fogo, pedras gigantes de gelo e uma chuva muito louca de granizo, vilões com armas de fogo…. Ufa!

Essa mistura torna o longa emocionante, com doses de comédia, fatalismo, o clássico “ih, esse aí já era”, além de uma investigação “Detetive” (o jogo de tabuleiro), mais “I don’t wanna close my eyessss” moments. Não tem romance fru-fru. O babado é a ação mesmo! E o filme não perde nada com isso, aliás, só aumenta sua qualidade. O foco é salvar o planeta, não dar um beijo na mocinha bem no momento mais crítico da p¨&¨%% toda.

Resumindo…

O filme é incrível! Muito bom, divertido, com boas atuações, um roteiro meio previsível, mas que sabe trabalhar isso com qualidade e proporcionando um bom tempo no cinema.

Tempestade – Planeta em Fúria já está em exibição nos cinemas.

Comentários

ResumoO mundo vai acabar...Alguém precisa salvá-lo / salvar a gente! risos
4.6
Critérios
Direção
Roteiro
Elenco
Efeitos especiais
Trilha Sonora / Edição de Som
Observações:
  • Efeitos incríveis de verdade!
  • Não tem romance lenga-lenga. É correr pra se salvar, salvar o planeta, socar os vilões e salvar o dia.
  • Gente, tem o Gerard Butler. Dãããã
  • Algumas falhinhas de roteiro.
  • Alguns pontos previsíveis e plano cruel.... Clichê.
Avaliação dos leitores: 0(0 Votos)
Dê sua nota