Todos os desenhos, seriados e quadrinhos que marcaram nossa infância (e para muitos como eu, adolescência e vida adulta) tiveram como característica em comum o “efeito Ranger Verde”. Basicamente o personagem efeito Ranger Verde era tido como o personagem mais maneiro da série, que as vezes só aparecia brevemente mas era o suficiente para deixar o episódio muito mais empolgante. Praticamente todas as séries tiveram um personagem Ranger Verde ou pelo menos um personagem que todos queriam ser na hora de brincar no recreio. Alguns exemplos:

– Comandos em Ação: Snake Eyes

– X-Men: Wolverine

– Liga da Justiça: Batman

– Cybercops: Lucifer

– Power Rangers: Ranger Verde (pô, ele tinha um colete dourado e pilotava o Godzilla não tem como não ser maneiro)

O "Sou Foda" Original

Porém, tinha uma série que não existia um “favorito”, Tartarugas Ninjas. Confesso que estes adolescentes mutantes foram minha primeira febre nerd. E como já disse, não existia um favorito, todo mundo tem sua tartaruga preferida baseado nos mais diversos fatores, cor da bandana, arma utilizada, mas provavelmente o que mais diferenciava um personagem do outro eram suas personalidades. Bora fazer um remember rápido:

Leonardo (azul) – O líder do grupo, destemido e disciplinado. Faz o papel do cara sem graça.

Rafael (vermelh0) – O impulsivo e raivoso do grupo. Do tipo bate primeiro e pergunta depois.

Michelangelo (laranja) – O fanfarrão da turma. Seu negócio é festa e pizza.

Donatello (roxo) – O cientista do bando, pacato e pacifista, seu negócio é invenções.

Poucas brincadeiras eram tão harmoniosas quanto Tartarugas Ninja, cada amigo escolhia a tartaruga mais alinhada com sua personalidade, o seu amigo chefe da turma assumia o papel de Leonardo, o CDF logo virava Donatello, o nervosinho briguento dava um Rafael perfeito e o amigo pau no cu (que geralmente tinha fama de flatular em momentos oportunos) facilmente queria ser Michelangelo. E pronta estava a equipe para fazer barulhos estranhos, pular aleatoriamente e chutar o ar fingindo que eram os “caras do mal”…

E agora chegou onde eu queria chegar…

Uma das vantagens de ser casado com Lady Freak (e só ter uma TV em casa) é que acabo sendo expostos a coisas da cultura pop do universo feminino que jamais me chamaram atenção antes, afinal, sempre existiu a cortina de ferro entre “cultura pop de menino” e “cultura pop de menina”.

Certas coisas jamais poderiam se misturar...

Enfim, devaneios sexualmente confusos a parte, por causa da patroa, conheci Sex and the City, calma gente, não gosto do negócio, ainda acho que é basicamente um seriado de 3 prostitutas e a mãe delas. Mesmo assim, comecei a perceber algumas semelhanças entra essa joça e Tartarugas Ninja…

Ambas as séries falam de répteis mutantes em Nova Iorque...

Resumindo muito rápido, trata-se de 4 amigas morando em Nova Iorque, cada uma com uma personalidade distinta, pelo que eu entendi (na ótica de alguém com idade mental de 12 anos e nível de atenção de um peixe), elas passam o dia comprando sapatos, fazendo sexo e trocadilhos…

Os trocadilhos são a pior parte… Sério…

HAWR HAWR HAWR! EU FAZER PIADA AGORA!

Agora você deve estar perguntando, “afinal o que essa foto de propaganda de absorvente tem a ver com isso?”

Calma gente, são as ditas:

Carrie (loira vestida de Walter Mercado) – A líder do grupo, é jornalista (afinal neste universo todos os Nova Iorquinos são fashionistas, jornalistas ou gays) e seu maior desafio é achar o “Sr. Certo” ou algo assim…

Samantha (loira de vermelho) – Sexo… ela gosta de sexo. Acho que só sei isso…

Charlotte (morena vestida de reveillon na Ilha de Caras) – Ela é rica e não precisa de emprego.

Miranda (vestida de versão feminina do Oscar) – Chata, frígida e neurótica. Típica ex-namorada que todos os seus amigos odeiam.

Tá vendo gente? Assim como nós meninos tivemos nossas saudosas tartarugas para se identificar, mulheres e homens gays também possuem 4 personagens para usar como referência, afinal não existe nada de homoerótico na cultura pop masculina!

Eu sei que posso ter discriminado um pouco as personagens de Sex and the City neste artigo, mas sinceramente, quem gosta da séria conhece elas perfeitamente bem e quem não gosta não dá a mínima, ou seja, eu tenho mais o que fazer…

Comentários