Após uma pausa na história das HQ’s para falar de Batman e Superman, retomo nosso conteúdo intelectual programado…(sem dormir ok? o “causo” é interessante…rs). 


Vorrrrrrrrtando à década de 50, o fim da Segunda Guerra Mundial e a criação do Pacto de Varsóvia gerou um atrito entre Estados Unidos da América e União da República Socialista Soviética resultou na nomeada Guerra Fria, conflito de ordem política, militar, tecnológica, econômica e social. Nas publicações das HQ’s a “Guerra Fria“ foi entre socos e “pontapés” dados pelo Capitão América nos comunistas.



Era de Prata começou na década de 60, surge aqui a Marvel Comics (empresa herdeira da Atlas Comic) e sua primeira criação foi, nada mais nada menos, do que o QUARTETO FANSTÁSTICO!!! Stan Lee e Jack Kirby inovaram ao criar um grupo onde os integrantes não possuíam identidade secreta, todos eram conhecidos pelo público geral e seus nomes eram Mulher Invisível, Tocha Humana, O Coisa e Senhor Fantástico . Os EUA estavam desesperado em uma corrida contra o tempo para criar um arsenal de armas nucleares e de foguetes para chegar à lua antes dos Russos……O mais curioso dessa história, é que o Quarteto Fantástico conseguiu seus poderes através do contato com radiações cósmicas, geradas de um acidente em uma viagem espacial…..e anos depois Apolo 13 deu errado. Os russos tbm conseguiram enviar um satélite (Sputnik) antes dos americanos…enfim…..entre o duelo espacial, fomos presenteados com 4 figuras marcantes e super bacanas! 



Ainda na década de 60, Stan Lee e seus parceiros, criam o Homem-AranhaX-MenHULKThor e o Homem de Ferro (Pausa dramática para as mulheres lembrarem de Tony Stark vivido por Robert Downey Jr. ….aiii aiiiiiiiiiiiii), e todos by Marvel. 


Nos anos 70, surgem os Quadrinhos Underground como Fritz The Cat (que virou filme em 1972) de Robert Crumb Fabulous Furry Freak Brothers de Gilbert Shelton. Artistas europeus também ganham espaço nos EUA, como a revista Heavy Metal da França (título original Métal Hurlant), publicada na américa em 1977, e Ken Parker, Corto Maltese e Clic , sendo estas três da Itália. 



Feito isso, é interessante traçar um paralelo com tudo o que houve na Moda no Pós-Guerra. O primeiro marco foi o New Look de Christian Dior em 1947…..cintura bem marcada, saias abaixo dos joelhos e chapéus….a mulher volta à sociedade com a feminilidade em tecidos bem cortados, enquanto os homens combatiam os comunistas! A mulher se vestia bem e abusava de suas curvas para se expor. Grace Kelly e Audrey Hepburn eram as heroínas da beleza, sem deixarmos de lado, obviamente, a sensualidade de Marilyn Monroe e Brigitte Bardot que foram ícones sensuais e modelos inspiradoras das Pin-Ups dos EUA.
 
A alta costura teve sua Golden Age e grandes nomes foram valorizados, como Chanel, Givenchy, Chanel, entre outros. Em paralelo houve a explosão da moda ready-to-wear na américa em função do crescimento da confecção em massa. 
Em 1950 temos o posicionamento dos quadrinhos da Mulher Maravilha, que usava uma saia, até então, rodada e estampada com estrelas, uma armadura semelhante ao formato do espartilho, aparentemente nada confortável, e sandálias estilo grega! … Ela tinha cabelos escuros, arrumado e enrolado nas pontas…. enfim, acho que não preciso comentar mais nada…………. (-.-)



Afinal….nada como uma mulher bem cuidada, bela e ótima dona de casa enquanto os homens estão na rua fazendo política e bancando o Capitão América. 

Já em 1960, as rebeldes feministas abandonam as saias e espartilhos, e partem para as calças cigarretes em prol da liberdade! Maquiagem, magreza, cabelos curtos e loiros ganham destaque! A juventude é o abre-alas desta década, provocando no mercado têxtil o investimento em opções de cortes e de uma moda-praia também jovial. A minissaia é um dos grandes acontecimentos acompanhada pelos cortes retos lançados na França….e como uma imagem fala mais do que mil palavras…..eu deixo aqui a primeira aparição da Super Girl datada em 1957 (e + risadinhas….hihihi)




Mil Novecentos e Setenta………….a Disco ataca os quadrinhos e a moda e o psicodélico lideram as preferências e tendências de cada estampa…fase da liberdade sexual da mulher…..
O visual era emplacado por glitter, plataformas, calças boca de sino, futurismo, o metalizado, androgenia e camaleão…uma mistura de cores, formas e envoltos de ousadia…o resultado? —->> Artistas Musicais inesquecíveis (Ex.: David Bowie, KISS, entre outros), drogas e mais drogas, acessórios exagerados, protestos e mais protestos….enfim…uma década lotada de acontecimentos e criações, é complicado compilar tudo em poucas palavras…..”boraê” visualizar essa bagunça no mundo dos quadrinhos…… :



Deu pra entender? … Pois é…Dazzler (ou Cristal – nome adaptado no Brasil), foi um projeto de 1975 (mais ou menos) que não foi levado a sério (por que será né?) e que somente nos anos 80 teve sua primeira edição (vide imagem acima). 
Essa personagem foi inicialmente encomendada pela Casablanca Records para ser uma jogada promocional em virtude do sucesso de duas séries de quadrinhos da Banda KISS, ou seja, a gravadora lançaria uma cantora incorporando a personagem, porém, o projeto não foi pra frente e nos anos 80 quando Dazzler chegou às Bancas, a Era Disco já tinha falecido…logo…sobramos somente esse mulherão nos quadrinhos que tinha o super-poder de converter sons em feixes de luz de diversas formas e intensidades, ela também iluminava seus shows quando cantava….E assim, jamais saberemos como seria Dazzler na vida real….vai da sua imaginação….rs

Outro personagem que merece destaque, é o Surfista Prateado, personagem integrado ao quadro de figuras do Quarteto Fantástico criado em 1966…..acho que ele fez um preview à moda da década de 70 com esse modelito metalizado, justo, brilhante e fashion…rs



Pósximo post, falarei de anos 80 e 90 nos Quadrinhos e na Moda…


Küsses

Lady Freak

Comentários