Antes de mais nada, quem aqui já questionou o uso/existência da gravata? Imagino que 99% dos homens reclamam deste acessório tão incomodo. Porque em pleno século XXI, a moda mundial ainda utiliza e recria a gravata como parte da veste masculina? Porque eventos sociais e trabalhos ainda exigem o uso? Porque? Porque? Porque?

A resposta é simples: a gravata é o adorno símbolo do PODER!

A gravata nasceu há 376 anos, sua história é longa e eu vou contar para vocês em três capítulos, o primeiro será a base histórica, depois vou contar sobre a origem dos tipos de nós e por ultimo as demais utilizações do acessório (inclusive na moda feminina como fetiche).

Bem, vamos lá…..segundo o livro “La Grande Histoire de la Cravate” (Flamarion, Paris, 1994),tudo começou em 1635 quando o Rei Francês Luiz XIV ficou com inveja do acessório que os soldados croatas usavam durante um momento de aliança militar na Guerra dos 30 anos. O monarca logo ordenou que a equipe de alfaiates reais recriasse a peça para incorporar no vestuário real. Este novo item do armário francês foi chamado de cravat, que significa croata. Sua forma inicial era de grande volume. Tecidos pesados indicavam plebe, tecidos leves e trabalhados, indicavam realeza. O novo artefato causou alvoroço na moda parisiense e deste então nunca mais saiu da toiallet da sociedade masculina.

 

De acessório croata militar, para adorno real nomeado como “croata”? Sim meus caros, isso é o resultado de ter poder!

A Revolução Francesa também alterou a moda e os homens passaram a vestir roupas mais sóbrias, menos volumosas e exuberantes. A alfaiataria de 1830 era voltada para cortes retos, casacos longos, camisas engomadas e cartolas. A gravata fechava o look da prepotência masculina dos nobres da época. Os Dândies reforçavam o poder do acessório ao duelar com alguém que o tocasse (não o Dândi em si, e sim a gravata!!).

 

Sua forma atual surgiu somente no final do século XIX, o modelo “borboleta” era muito utilizado pelos londrinos e a popularização do adorno complementou até as vestes de universitários e comerciantes.

Mesmo sendo usada por qualquer classe, a gravata ainda assim impõe respeito e, nos dias de hoje, ainda eleva ao homem a um patamar chique e elegante.

Para finalizar esta primeira parte, vou citar o velho ditado: “Uma imagem vale mais do que mil palavras”:


Sem mais, até breve….

Beijos

Lady Freak

Comentários