Hora de falar dos filmes de super herói que marcaram 2016!

Finalmente a atrocidade conhecida como 2016, chegou ao fim. Como manda a tradição, é a hora de criar listas e mais listas sobre tudo que rolou no ano. Hoje vamos falar dos melhores e piores filmes de super herói do ano passado. Organizados do lixo ao luxo, já sabem né? Discordou? Comente!

6. X-Men: Apocalipse

Disparado o pior da lista, diga-se de passagem, um dos piores filmes de super herói de todos os tempos. A franquia X-Men no cinema sempre foi a irmã mais velha e gagá dos universos Marvel. Com uma tonelada de viagens no tempo e uma continuidade que precisaria de um time da NASA para decifrar, X-Men: Apocalipse sofre de um roteiro fraco, personagens sem graça e o terceiro filme seguido que mostra os mutantes se unindo pela primeira vez.

5. Doutor Estranho

Com um elenco talentoso, efeitos visuais impressionantes e uma trilha sonora pincelada de elementos do rock progressivo, Doutor Estranho tinha tudo para ser um dos maiores filmes de super herói de 2016. Infelizmente, o roteiro fraco que caminha exatamente os mesmo passos de Homem de Ferro de 2006, começa a mostrar que os elementos obrigatórios de todos os filmes do Universo Cinematográfico Marvel podem marcar pontos contra. As piadinhas ficaram forçadas, o interesse amoroso obrigatório ficou jogado e o filme não marcou tanto quanto Guerra Civil.

4. Esquadrão Suicida

Apesar dos escândalos histriônicos dos fanboys e a opinião dos cri-críticos, Esquadrão Suicida não é necessariamente um filme ruim. A edição é um pouco picotada e o Coringa teve sua presença exagerada na publicidade do filme. Quando tudo isso é deixado de lado, o longa é um dos filmes de super heróis mais diferentes já feitos, com uma liderança bem feita de Will Smith e Margot Robbie.

3. Capitão América: Guerra Civil

“Como assim Guerra Civil já apareceu na lista e BvS ainda não? Você não babou mel para esse longa e trucidou o outro?” – pergunta de forma educada do leitor que chegou até aqui e pretende me xingar em breve, mas vamos lá. Aqui o jogo fica complicado.

Capitão América: Guerra Civil é um filme excelente, divertido e muito bem feito. Repleto de participações especiais como o Pantera Negra e o Homem-Aranha, mas é um filme que depende consideravelmente da boa vontade da Marvel para manter o fôlego. A direção do filme é estranhamente sem graça e até mesmo as cenas mais empolgantes são bastante sem inspiração.

A seriedade da trama também destaca demais o medo da Marvel em preservar o status quo de seu universo. O que deveria ser anos de ressentimentos entre os heróis e um crescente receio da população perante estes super seres, termina com Steve Rogers e Tony Stark fazendo as pazes e heróis lutando entre si com medo de causar algum ferimento grave. Tudo bem que a Casa das Ideias é mais light que a Distinta Concorrência, mas não chame de Guerra Civil um filme que deveria se chamar Desavença Íntima.

E sim, antes de começarem as discussões, ambos os filmes contam com um humano manipulando o conflito de forma impossível de acompanhar e termina com traumas de mãe no meio da troca de tapas.

2. Batman Vs Superman: A Origem da Justiça

Ok, guardem as armas crianças. Eu sei que eu não fui exatamente bonzinho com o longa quando ele saiu, mas Batman vs Superman tem seus méritos. Apesar dos exageros, o “visionário diretor” Zack Snyder ainda sabe compor cenas e visualmente ainda é um dos filmes de super heróis mais marcantes do ano.

O roteiro que era uma zona, sofreu algumas dignas melhorias na versão estendida e o longa ganhou uma versão mais coerente. E apesar das 435 histórias da DC diferentes que tentaram enfiar ao mesmo tempo, existe uma certa admiração na ousadia de começar o Universo Estendido DC com um Superman “morto” e destrinchar as consequências para os demais filmes.

BvS ainda tem diversos defeitos (o lance das Marthas não desce), mas é um filme que impressiona pela escala, pela composição de cenas e pela participação fantástica da Mulher Maravilha.

1. Deadpool

COMO ASSIM?!

Calma leitor. Existe um motivo muito especial para Deadpool ser eleito o melhor entre os filmes de super herói do ano. Não é exatamente o melhor roteiro, a melhor direção e nem mesmo o melhor filme, mas ele traz algo que promete uma mudança significativa para o futuro do gênero.

Custou “apenas” US$ 57 milhões.

Tudo bem que são aspas beeem grandes no valor, mas vale lembrar que um filme sobre uma pessoa de roupa colorida dando socos costuma custar entre 150 a 250 milhões de Trumps, e este custo sobe cada vez mais. Sabe o que isso significa? Projetos cada vez mais restritivos, contratos de atores cada vez mais torturantes e filmes que raramente vão inovar porque custam o PIB de um país do leste europeu.

Com Deadpool, Ryan Reynolds conseguiu evitar a intervenção tóxica dos produtores da Fox (que entregaram Quarteto Fantástico e até mesmo o Apocalipse desta lista). O filme era tão barato que daria lucro rapidamente, e por isso, o estúdio não se preocupou tanto com a crítica, já que um final de semana bem vendido resolveria o problema. O resultado foi um filme com palavrões, violência e um humor para lá de quinta série.

Não quer dizer que em breve veremos A Liga da Justiça lutando em um estacionamento de shopping contra um Darkseid feito de massinha, mas isto abre a possibilidade de trazer projetos menores e mais ousados para as telonas. Já imaginou um Cavaleiro da Lua bem cru e violento ou uma comédia com o Besouro Azul e o Gladiador Dourado?

MENÇÃO HONROSA – Batman: O Retorno da Dupla Dinâmica

Depois da questionável qualidade de Batman: A Piada Mortal, o segundo filme animado da DC nos cinemas foi um dos filmes de super herói mais divertidos da atualidade com uma justa homenagem à série clássica do Cavaleiro das Trevas de 1966. Se você não viu ainda, recomendamos!

Enfim, aqui encerramos a lista. Concordam? Discordam? Deixe seu ranking nos comentários!

Até a próxima!

Comentários