Jumanji: Bem-vindo à Selva faz algo
quase milagroso nos dias de hoje…

Pense rápido: quando foi a última vez que você foi no cinema e apenas se divertiu? Sem ser um filme épico de duas horas e meia com explosões de computação gráfica a cada cinco minutos, alguma colcha de retalhos de propriedade intelectual exaustiva de acompanhar ou a trigésima continuação de uma saga infindável? Quando foi a última vez que você simplesmente assistiu um filme, deu risada e saiu contente? Garantimos que Jumanji: Bem-vindo à Selva vai atender esta demanda.

Jumanji 2?

Jumanji (ou JUMAAAAANJIIIIIIIII quando estou bêbado no zoológico) é um filme de 1995, dirigido pelo futuro diretor de Capitão América: O Primeiro Vingador, Joe Johnston, que conta a história de um jogo de tabuleiro mágico. Para sobreviver Jumanji, os jogadores precisarão chegar ao fim do jogo. Um grande desafio considerando que a cada rodada uma nova monstruosidade das selvas místicas de Jumanji aparecem para tentar ceifar a vida dos desafiadores.

Um ano depois dos eventos do primeiro filme, o jogo de tabuleiro encontra uma nova vítima… Que imediatamente descarta o artefato, já que ninguém mais brinca com jogos de tabuleiro. O jogo se transforma em um cartucho de game e os tambores selvagens começam a rufar novamente e assim como Alan Parrish (Robin Williams), um jogador é absorvido pelo jogo. 20 anos depois, quatro alunos encontram o cartucho e são transportados para a selva.

O novo mundo de Jumanji funciona como uma mistura de Cadillacs & Dinossaurs, Pitfall, Far Cry com uma leve pitada de Congo para o Sega Saturn. Cada jogador é transformado em um arquétipo de personagem de games e cultura pop. O nerd hipocondríaco Spencer (Alex Wolff) se transforma no Dr. Bravestone (Dwayne Johnson), um super-homem mistura de Doc Savage com Chris Redfield; o jogador de futebol americano Fridge (Ser’Darius Blain) vira o diminuto Mouse Finbar (Kevin Hart) o personagem responsável por armas e inventário; a patricinha fútil Bethany (Madison Iseman) vira o Professor Shelly (Jack Black) o cérebro da operação e a tímida Martha (Morgan Turner) se transforma em Ruby Roundhouse, uma guerreira mistura de Lara Croft, Hannah Dundee e mais alguns inúmeros clichês de personagens com excesso de sex appeal nos games. O “game” até atualizou seu chefão. O novo Van Pelt (o caçador do primeiro filme, neste é interpretado por Bobby Cannavale) agora controla toda a fauna mortífera de Jumanji e comanda um exército de capangas genéricos.

Jumanji: Bem-vindo à Selva – Aperte start para começar

Além da química impecável do elenco que arranca boas risadas, o charme de Jumanji reside nos elementos de video game incorporados na selva. Todos os personagens, além dos jogadores, se comportam como NPCs, apenas repetindo as mesmas frases e só respondendo comandos corretos. No lugar dos enigmas de cada rodada, os tambores anunciam o desafio de cada nova fase do game. Cada jogador tem habilidades, forças e fraquezas específicas que aparecem em uma tela de menu quando eles encostam em seus próprios peitos e um número limitado de vidas obriga cada personagem a pensar de forma estratégica.

De resto, a trama é uma aventura desenfreada repleta de animais selvagens, cenas de perseguição e piadas de quinta série. O verdadeiro mérito de Jumanji 2 é ser um filme despretensioso que apenas existe para divertir. Não existem cenas pós-créditos, preparos para a criação do “Jumanji-verso”, um conhecimento semi-enciclopédico da propriedade intelectual original ou até mesmo interesse em criar uma continuação. É apenas um filme de aventura, daqueles que com certeza você vai parar para ver um pedaço toda vez que aparecer na televisão numa tarde de sábado preguiçosa.

O longa está em exibição nos cinemas e nós recomendamos!

Até a próxima!

Comentários

ResumoJUMAAAAAANJIIIIIIIIIII
4.3
Critérios
Direção
Roteiro
Enredo
Elenco
Observações:
  • Belo easter egg do Alan Parrish, o personagem de Robin Williams no primeiro filme.
  • Sério, o que falta para alguém fazer um longa metragem do Doc Savage com o Dwayne Johnson no papel?
  • Jack Black fazendo uma adolescente é magia pura.
Avaliação dos leitores: 0(0 Votos)
Dê sua nota