Dunkirk mostra o auge da técnica de Christopher Nolan

Existe uma regra não declarada que diz que todo diretor consagrado acaba fazendo um filme de guerra. Certamente existem exemplos suficientes para comprovar isso. Chegou a vez de Christopher Nolan testar as águas do gênero com Dunkirk, um primoroso exemplo de como usar técnica visual para narrar a história.

Operação Dínamo

Dunkirk conta a história da Operação Dínamo, uma gigantesca missão organizada para evacuar as forças aliadas presas na cidade de Dunkirk na França. As forças do Eixo, que ocupavam o país após a Batalha da França, cercaram a pequena cidade costeira e a travessia pelo Canal da Mancha se tornou praticamente impossível com a presença de submarinos e bombardeiros da Luftwaffe. A trama do longa conta a história do resgate dos 400 mil soldados na praia em três momentos e locais distintos que se intercalam na narrativa.

Terra

Começando uma semana antes do resgate, acompanhamos os soldados na praia de Dunkirk se organizando para tentar embarcar nos navios que continuamente são bombardeados ou naufragados. A situação é desesperadora, já que as forças Alemãs chegarão a qualquer momento e a praia tem mais de 400 mil soldados.

Água

Contado a partir de um dia antes do resgate, acompanhamos o Sr. Dawson (Mark Rylance) um proprietário de um pequeno iate que é recrutado pela Marinha Real junto com todos os navios civis disponíveis para atravessar o canal e resgatar as tropas. No trajeto, resgatam soldados que sobreviveram os naufrágios.

Ar

Uma hora antes do resgate, acompanhamos os pilotos da Força Aérea Real tentando manter os céus seguros e conter a investida da Luftwaffe contra os esforços navais para evacuar Dunkirk. O piloto Farrier (Tom Hardy) entra em uma luta desesperadora contra um bombardeiro alemão.

Técnica impecável

Dunkirk tece uma experiência visual única. De longe é a o filme mais habilidoso que Nolan já dirigiu. O diálogo estranhamente inorgânico de A Origem e a trilogia Batman desapareceu, o continuísmo de cenas de ação confuso de Cavaleiro das Trevas não existe mais e o diretor certamente aprendeu a desenvolver cenas com grande número de coadjuvantes de forma mais impressionante que O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Até os efeitos de voo práticos estão consideravelmente aprimorados, mas o que realmente merece destaque aqui é a trama.

A história em si é simples, mas é a forma como a trama é narrada merece destaque. É um filme de fuga, a tensão começa na primeira cena e permanece até a cena final. As consequências são aterradoras e palpáveis sem sequer mostrar um único soldado das forças inimigas. Cada tiro disparado aumenta o desespero. Cada navio naufragado cresce a desesperança.

Uma experiência IMAX

Dunkirk é um filme que foi feito para IMAX, não só a imagem gigantesca quanto o som. Cada disparo de canhão, cada barulho de motor criam uma experiência completamente imersiva. Recomendamos fortemente que você vá ao cinema e gaste uns reais a mais para ver na sala certa.

Vale a pena? Com certeza. Dunkirk é um dos filmes de guera mais intensos já feitos cuja história merece ser contada com o devido respeito e sob o olhar cuidados de um dos melhores cineastas da atualidade.

Até a próxima!

Comentários

ResumoConheça a história de um dos maiores desastres militares da Segunda Guerra Mundial contado com uma técnica visual impecável.
5.0
Critérios
Direção
Roteiro
Elenco
Enredo
Observações:
  • O realismo histórico é de cair o queixo, até o posicionamento dos navios e aviões foi levado em consideração.
  • É impressionante como é possível ter um senso de posição e continuísmo em cenas que se passam inteiramente em alto mar.
Avaliação dos leitores: 0(0 Votos)
Dê sua nota