Dylan O’Brien correu muito em Maze Runner e agora ele corre muito em O Assassino: O Primeiro Alvo

Pelo jeito virou tendência. Taylor Lautner saiu da franquia do Crepúsculo e protagonizou Sem Saída (2011), Robert Pattinson também terminou a franquia do vampiro que brilha no escuro para fazer o western The Rover (2014), já Alex Pettyfer parou de fazer filme de menina para tirar a roupa em Magic Mike (2012), Liam Hemsworth quase enterrou a carreira com a saga Jogos Vorazes e se aventurou no Sci-Fi Independence Day: O Ressurgimento (2016) e agora o zé bonitinho de Maze Runner é um assassino implacável em O Assassino: O Primeiro Alvo. Bem, além de todos eles ganharem músculos para os novos projetos, a moda é sair de um filme teen e tentar recuperar alguma dignidade em projetos de outros gêneros mais maduros.

Não que isso seja necessariamente bom…

Assim como Sem Saída (2012), o exemplo mais “semelhante” ao longa aqui em questão, provavelmente nós esqueceremos que O Assassino: O Primeiro Alvo tem Dylan O’Brien como protagonista. Simplesmente porque Michael Keaton é quem rouba a cena. No longa, Mitch Rapp (O’Brien) está de férias com a sua namorada quando rola um atentado violentérrimo. A garota morre e ele resolve que será um vigilante.

O moço ganha uns kgs de músculo e começa a procurar uma forma de chegar na tchurma que matou a mina. Ai a CIA tá de olho nele e resolve chamá-lo para ser da CIA mesmo, ao invés de um justiceiro qualquer. Aí ele vai pro acampamento de Stan Hurley (Keaton), aprende a ser melhor do que já é e, juntos, partem para a caça aos vilões do oriente.

Tá. Mas e aí?

Aíííííí, Rapp sabe se mostrar né? Tá lá se achando o dono do babado todo controlado pela alta tecnologia da CIA, mas consegue se destacar e desvendar vários “mistérios”. O final é extremamente previsível, deixa abertura para um segundo longa (por favor, não!) e o que mais aprendemos com O Assassino: O Primeiro Alvo é que Michael Keaton é badass até comendo uma orelha.

Oi?

A história é a receitinha de bolo de filme de ação. Tem o jovem que entra em conflito com o seu mentor. Tem o mentor que a gente acha que é bandido, mas não é. Tem a mocinha gostosa que vira paquera do mocinho. Tem a chefe da CIA/FBI/MI6 (o que preferir) que é super elegante e tem as melhores frases de efeito quando precisa dar um fora em alguém. Tem cenas de ação. Tem pancadaria. Tem mocinho machucado. Tem mocinho quase morrendo. Tem vilão sexy que come umas putas. Sério. É um show de clichès. Mas diverte.

Vale a pena?

Esses longas de ação bem estilo “meu pai gosta” tem uma única função: entreter. Felizmente O Assaassino: O Primeiro Alvo atende, muito bem, o gênero e o seu propósito. A gente precisa de mais um filme de ação genérico? Não! Mas ter mais um no banco de dados é legal. Quem vos escreve faz isso com comédias românticas.

Bem, a direção de Michael Cuesta (O Mensageiro) não desaponta e tem bons momentos tensos. O realismo foi deixado um teco de lado, mas a gente respeita isso só pelo fato do Michael Keaton estar bacanérrimo no papel.

O longa chega aos cinemas no dia 21 de setembro e é uma ótima pedida caso você procure um filminho de ação pra curtir.

Küsses,

Comentários

ResumoMataram a mina...a casa caiu!
2.7
Critérios
Direção
Elenco
Roteiro
Produção / Fotografia
Observações:
  • Dylan O’Brien realmente malhou pra este filme.
  • Mas malhou de verdade...
  • Ele tá bombado.
  • Ele é muito bom em lutas...Sem camisa.
  • E ele atira bem também...Sem camisa.
  • Ele se machuca muito também...E fica sem camisa.
Avaliação dos leitores: 0(0 Votos)
Dê sua nota