Corra! é o tipo de filme de terror que também serve como um tapa na cara

Convenhamos que em pleno 2017, dizer que racismo é uma coisa ruim não é exatamente a revelação do século. Apesar de alguns núcleos bastante dedicados em inexplicavelmente debater esta afirmação. Em linhas gerais, a humanidade parece estar no processo de aprendizado de não descriminar baseado na cor da pela das pessoas. O filme Corra! funciona como um tapa na cara, mas não da forma que você imagina.

A estrada para o inferno é cheia de boas intenções

Em Corra! conhecemos Chris Washington (Daniel Kaluuya), um rapaz negro bem sucedido da cidade grande que namora Rose (Allison Williams), uma garota branca. Tudo vai bem com o casal até surgir a oportunidade de conhecer os pais da namorada. Naturalmente, Chris fica inseguro, mas ela afirma que seus pais são super progressivos.

Realmente, o casal Dean e Missy (Bradley Whitford e Catherine Keener) são o exemplo perfeito de velhos modernos. Adoram o Obama e acham o máximo a filha estar em um relacionamento multi-racial. Apesar de viverem afastados nos ricos e afluentes subúrbios americanos, eles e seus amigos brancos apoiam com o maior orgulho a causa negra.

Aos poucos, Chris começa a ficar suspeito do fascínio que estes velhotes branquelos têm pela cultura afro-descendente americana e uma trama sinistra se revela.

Corra, Chris, Corra!

O que torna Corra! um filme de terror fascinante (e fenômeno de crítica e bilheteria) é a fonte da tensão. Chris é fruto de um país segregado e uma simples jornada para os subúrbios, longe dos grandes centros urbanos, pode render olhares suspeitos e agressões veladas. Até a presença da polícia adquire um ar de ameaça.

A direção de Jordan Peele permite bastante observação, mostra um elemento de suspense e deixa a audiência um pouco desconfortável. Seria fácil demais fazer um filme sobre um jovem negro sendo perseguido por neo-nazistas ou caipiras sulistas americanos, mas transformar a ala progressista norte-americana em vilões é um toque de mestre. Especialmente para mostrar que preconceito racial pode vir de diversas formas.

Vale a pena? Corra! é um filme com uma trama simples e uma temática complexa. Vai causar mais desconforto do que medo, mas com certeza é uma experiência única. O longa estreia dia 18 de maio nos cinemas.

Até a próxima!

Comentários

ResumoCorra! conta a história de como até mesmo seu amiguinho moderno e progressivo é um verdadeiro filho da puta.
4.9
Critérios
Direção
Roteiro
Enredo
Elenco
Observações:
  • Nunca imaginei que Catherine Keener conseguia ser tão assustadora.
  • Fica aqui um desejo sincero para que as pessoas repensem certas atitudes, não basta fazer um textão indignado nas redes sociais.
  • Daniel Kaluuya está em um dos episódios mais interessantes de Black Mirror.
Avaliação dos leitores: 0(0 Votos)
Dê sua nota